Transferência de embriões em bovinos: conheça mais sobre essa técnica

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Quem trabalha com criação de bovinos já entende o impacto que as práticas de reprodução têm no resultado da produção de corte e leite. É por meio das rotinas de reprodução bovina, que é possível selecionar as características mais favoráveis para o rebanho, melhorando, inclusive, a qualidade do produto final. Assim, técnicas como a transferência de embriões em bovinos tem ganhado cada vez mais espaço, exigindo que os responsáveis pelo manejo reprodutivo estejam preparados para executá-las de maneira correta.

Com grande importância para o segmento, a transferência de embriões em bovinos é uma biotécnica que combina matrizes genéticas com as características desejáveis, e usa de fêmeas receptoras para a gestação dos embriões gerados. Ou seja, uma fêmea com alto valor genético é selecionada como doadora, tem sua produção de óvulos estimulada, garantindo mais de um por ciclo. Assim, esse material é fertilizado com um macho, também de alto valor genético, e, posteriormente os embriões são inseminados em fêmeas receptoras. Esse processo garante que uma fêmea doadora produza um número maior de descendentes, melhorando geneticamente o rebanho de forma mais rápida e eficiente.

Neste artigo você vai conhecer os procedimentos envolvidos na transferência de embriões e as vantagens que ela apresenta ao produtor. Confira!

Procedimentos para a transferência de embriões em bovinos

Como apontamos, na transferência de embriões em bovinos, animais com alto valor genético geram embriões que serão inseminados em fêmeas receptoras. Como resultado, são obtidos bezerros com alta qualidade genética. Contudo, realizar essa técnica no manejo reprodutivo do rebanho requer mais procedimentos.

Assim, vamos apresentar aos principais pontos necessários para a realização da transferência de embriões na reprodução bovina. São eles:

Seleção da doadora

A seleção da doadora é a primeira etapa para uma transferência de embriões bem sucedida. Essas fêmeas são animais de alto valor genético, com ciclo estral regular, boa sanidade e manejo nutricional

Protocolo hormonal da doadora

Esse protocolo é aplicado para que aconteça a superovulação da fêmea doadora. Como o próprio nome sugere, a superovulação é a produção de mais de um óvulo por ciclo reprodutivo da fêmea. É por meio dela que a transferência de embriões em bovinos se firma como técnica geradora de mais de um descendente da matriz genética desejada. 

Inseminação da doadora

Para a formação dos embriões, a doadora deve ser inseminada com o sêmen do macho escolhido. Nesse processo, é importante que o veterinário considere o protocolo de superovulação e garanta uma maior quantidade de células espermáticas. Assim, além de realizar um protocolo de inseminação, considerando intervalos de 12, 24 e 36 horas, é preciso garantir a qualidade do sêmen inseminação.

Coleta dos embriões

Após a inseminação, a coleta dos embriões é realizada do sétimo ao oitavo dia a partir da primeira inseminação. Para isso é realizada uma lavagem interna do útero com uma solução adequada. Em média, o útero é lavado de cinco a dez vezes.

Avaliação dos embriões

Outro passo muito importante é avaliação dos embriões coletados. Nesta etapa, os embriões que estejam fora dos critérios de classificação adequados e/ou apresentem defeitos morfológicos são descartados.

Seleção e preparação das receptoras

Um passo muito importante de todo o processo é o manejo das fêmeas receptoras, pois, sem isso, a taxa de sucesso da transferência de embriões em bovinos diminui consideravelmente. Essas fêmeas devem ser reprodutivamente sadias e devem passar por um protocolo de sincronização, para que essas estejam com os ciclos alinhados ao da doadora. 

Transferências dos embriões

Nessa etapa, realizada após a avaliação dos embriões, o material final é transferido para as receptoras com o objetivo de gerar uma gestação. Contudo, esse processo não necessariamente precisa acontecer imediatamente após a avaliação dos embriões. Na transferência de embriões em bovinos, é possível utilizar a técnica de criopreservação deste produto, para que ele seja posteriormente inseminado nas receptoras. Isso garante a manutenção do potencial genético de um rebanho por mais tempo.

Vantagens da transferência de embriões em bovinos

Depois de entender um pouco sobre as principais etapas para a realização da transferência de embriões em bovinos, algumas vantagens começam a ficar claras para quem trabalha nesse segmento. Essa biotecnologia possui uma boa aplicabilidade comercial, já que permite o congelamento e armazenamento do embrião gerado, o que garante a possibilidade de venda do embrião de alto valor genético. Além de permitir a manutenção de um rebanho de bom valor genético de forma perene.

Assim, algumas vantagens do uso dessa técnica na reprodução bovina são:

  • Geração de um maior número de bezerros anualmente por vaca doadora;
  • Seleção e aprimoramento genético dos bezerros;
  • Possibilidade de comercialização dos embriões congelados de boa matriz genética;
  • Melhoria na caracterização de raça do rebanho;
  • Aumento das características mais importantes para a produtividade do rebanho.

Agora fica claro o papel da transferência de embriões em bovinos na qualidade da criação, além do seu impacto direto nos resultados da produção. A garantia de uma boa base genética permite ao criador prever as características do produto que será obtido e ter maior controle da sua produção futura.

Assim, é importante que o profissional esteja preparado e capacitado para executar toda a rotina de reprodução bovina a fim de obter os melhores resultados. 

Quer aprender na prática como realizar a transferência de embriões em equinos? CLIQUE AQUI e saiba como!

Fonte: CPT Cursos Presenciais e Tecnologia no campo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Atualizado em: 23 de setembro de 2020

Artigos Relacionados com Bovinos: