As principais doenças que afetam os ovinos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A criação de ovinos, mais conhecidos popularmente como carneiros ou cordeiros, vem crescendo consideravelmente no Brasil, seja em grandes propriedades ou como opção de renda para muitas famílias. Trata-se de um animal cuja carne é cada vez mais apreciada, além da pele, bastante útil na indústria calçadista.

O mercado de ovinos, de acordo com vários estudos, possui uma demanda maior do que a oferta, gerando um espaço interessante para o empreendedor que almeja investir neste nicho cada vez mais promissor.

No entanto, esta criação requer técnicas de manejo diferenciadas, sendo a atenção aos procedimentos sanitários um ponto essencial para que o negócio prospere. Isso porque, assim como as demais criações, os ovinos também estão sujeitos a contrair diferentes tipos de doenças.

Os bernes, transmitidos por moscas, é um exemplo. As larvas depositadas nos animais se transformam em caroços, que podem comprometer a qualidade da pele e causar infecções. Temos ainda o carbúnculo sintomático, mais conhecido como “manqueira”. Causada por bactéria, a doença pode causar muitos transtornos, sendo evitada somente por vacinação.

É bastante comum ainda a Oftalmia, enfermidade que atinge os olhos, e que é bastante contagiosa. Provoca secreções e, se não for devidamente tratada, pode causar até mesmo cegueira. Temos ainda a Brucelose, que pode culminar com abortos. 

Estes são apenas alguns exemplos de dezenas de doenças em que estes animais podem estar sujeitos. Por isso, a criação ovina vem se tornando cada vez mais profissional, de modo a controlar estes e outros gargalos produtivos.

Para garantir o sucesso neste mercado promissor, além das técnicas de manejo correto é fundamental está preparado para realizar diagnósticos rápidos para o controle rápido sas doenças que possam atingir o rebanho. Saiba mais.

Fonte: Ebah

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 7 de setembro de 2017

Artigos Relacionados com Caprinos e ovinos: