Colocefalectomia em pequenos animais

  •   
  •   
  • 947
  •  
  •  
  •  
  •  

ColocefalectomiaColocefalectomia é um procedimento ortopédico que consiste na extirpação da cabeça do fêmur, realizando uma secção na região do colo femoral. E mais, a realização do procedimento só ocorre após a realização de exames detalhados. Pois, o pós-operatório traz riscos de sequelas como atrofia muscular, encurtamento do membro e bloqueio articular. O ramo de ortopedia veterinária vem crescendo muito, e os profissionais devem se atualizar constantemente.

É fundamental que os médicos veterinários estejam bem preparados para fornecer o tratamento, de forma que os pets tenham maiores chances de recuperar seus movimentos. A saber, a técnica de colocefalectomia também é conhecida como excisão artoplástica de cabeça e colo femoral  ou cefalectomia. Falaremos mais sobre o assunto ao longo do artigo!

Complicações ortopédicas que podem acometer cães e gatos

Abaixo listamos 4 situações que podem levar a necessidade de realização da técnica de colocefalectomia em cães e gatos, confira:

Fraturas: pode ocorrer que em função de alguma batida, ou mesmo queda, o animais sofram alguma fratura. Com isso, há possibilidade de ser preciso realizar este tipo de cirurgia ortopédica. A principio, vale ressaltar que em algumas situações há chances de reconstituição da cabeça do fêmur do animal. Porém, a região é considerada de difícil cicatrização, então são poucos casos em que os veterinários optam pelo procedimento. Assim, em condições como esta é comum que o veterinário decida pela colocefalectomia.

Luxações: normalmente as luxações são consequência de traumas ou displasias severas. E mais, é um tipo de lesão que muitas vezes leva a indicação excisão artoplástica da cabeça e colo femoral (Colocefalectomia). A luxação provoca o rompimento do ligamento redondo, com isso,  a cabeça do fêmur pode se soltar ou mesmo se deslocar da cavidade do acetábulo.

Displasia coxofemoral: é mais comum em casos específicos onde ocorre má coaptação da cabeça fêmur no acetábulo muito acentuada. Com isso, a conexão entre as partes não acontece de forma adequada e ocorrem as luxações. Apenas em casos muito severos é que ocorre a realização da colocefalectomia. Vale lembrar que os cães podem apresentar a displasia congênita ou adquirida.

Necrose asséptica da cabeça do fêmur: é uma complicação que na maioria das vezes afeta os animais pequenos, ocorre como consequência de falhas de irrigação na região da cabeça do fêmur. Neste tipo de situação, a colocefalectomia é um dos procedimentos mais utilizados como forma de tratamento.

Colocefalectomia em cães e gatos

A Colocefalectomia, quando necessária, é realizada por meio da incisão craniolateral à articulação coxofemoral com a finalidade de preservar os músculos glúteos, sendo importante promover a incisão e a reflexão da cápsula articular e a origem do músculo vasto lateral.

O uso da pinça óssea a fim de promover a subluxação do fêmur poderá ser usada facilitando assim, a secção do ligamento redondo através de tesouras curvas. Também o colo femoral é seccionado mais adequadamente por meio de um osteótomo. Após a secção é muito importante olhar se não existem pontas ou esquírolas ósseas que possam ocasionar o atrito à borda acetubular.

É válido lembrar, que o quanto antes for identificado e realizado o tratamento, maiores são as chances de recuperação dos pets. Por isso, os tutores precisam ficar sempre atentos a comportamentos diferentes e assim que identificá-los, encaminhar o animal ao médico veterinário. É essencial que os profissionais da  área de ortopedia se mantenham sempre atualizados sobre cirurgias ortopédicas em pequenos animais.

Cuidados pós-operatório

Como vimos, são variadas as causas que levam a realização desse tipo de cirurgia ortopédica. Logo, os exames que direcionam para o tratamento também são variados. O fato é que normalmente são consideradas como situações de emergência e precisam ser tratadas com maior rapidez. Após a realização do procedimento, é muito importante que o paciente mantenha o membro em movimento, evita possíveis atrofiamentos.

Após a colocefalectomia é comum que os animais necessitem de sessões de fisioterapia para auxiliar na recuperação. Aliás, você, médico veterinário, já se imaginou realizando um mega treinamento na área de pequenos animais, com uma mega estrutura e professores especialistas no assunto? No curso de cirurgias ortopédicas em pequenos animais do CPT Cursos Presenciais, você aprenderá na prática as técnicas realizadas em hospitais veterinários e garantirá o seu diferencial no mercado. Então, clique abaixo e confira mais informações!

Fonte: Cachorro e gato e Rede pet fisio

  • 947
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 13 de fevereiro de 2019

Artigos Relacionados com Sem categoria: